sábado, 8 de janeiro de 2011

Inquietude temporal

Ao meu modo, vejo as coisas acontecendo,
D e v a g a r... sem desespero.
O tempo não está no mesmo ritmo que eu.
Agitado, ele passa e vislumbro a desordem.
Arrastando multidões em sua loucura;
Priorizando insensatez à tranquilidade.
Chega devastador,
Cobrando,
Arfando,
Querendo sempre mais...
Vem dizendo,
Berrando,
Arrastando...Matando!
Quem cede ao tempo morre depressa.
Prefiro manter-me ausente,
Alheio,
Prefiro deixar essa preocupação para o relógio!